Pandora's Dawn

O exército Orc e o Troll

Os cinco se encontram à frente da porta que os separa das criaturas dentro da sala. Vrylore se prepara para realizar seu feitiço e bloquear a porta com um muro. Com um leve movimento das mãos de Vrylore, o chão de pedra começa a se mover, rearrajando-se de acordo com a vontade do feiticeiro. Logo em seguida, quase que como em resposta, uma barulheira vinda de dentro da sala é ouvida pelos Batedores de Pandora, as criaturas parecem ter percebido a presença dos exploradores e deram início a movimentação. Rapidamente Gang Hall desceu para o andar inferior e se escorou nas paredes para sair do campo de visão de qualquer ser vivo. Vrylore e os demais começaram a dar a volta pelo corredor, Daryl e Ren-Var seguiram logo atrás, já Kyle estava um pouco mais distante. Do outro lado do muro, dentro da sala principal desse andar, um soldado que se encontrava amarrado e estava prestes a servir de refeição para as criaturas começou a se agitar e emitir sons (logo que percebeu que havia mais alguém neste andar).

Ao perceber o caos se instalando no ambiente Kyle não perdeu tempo e já conjurou um grande urso polar para lhe ajudar. Vrylore continuou na vanguarda, abrindo caminho, até avistar um grupo de inimigos, alguns orcs e um ogro. Rapidamente disparou um flash mágico causando a cegueira de todos, mas, como nunca havia se visto, Vrylore o sagaz seguidor de Xantyx foi juvenil, e não fechou os próprios olhos causando-lhe o mesmo efeito que os inimigos sentiram. Daryl que estava logo atrás também foi pego desprevenido e começou a sofrer com a visão atrapalhada. Acuados e com a visão borrada os orcs recuaram, levando consigo o único foco de luz e deixando os invasores na escuridão total.

Voltando para dentro da sala principal deste andar o soldado volta a dar trabalho, grunhindo, assobiando, e tossindo, no intuito de conseguir chamar a atenção de quem quer que esteja lá. Um gigantesco troll que estava gritando com os orcs passa a olhar de perto o soldado, e logo que percebe as intenções do “homenzinho”, dispara uma patada gigantesca no refém, que quase o deixa desacordado. Um outro grupo orc partiu, porém para a direita.

Vrylore tratou de usar seus truques mágicos para diminuir a dificuldade de visibilidade, e tornou-se invisível. Ren-Var, Daryl e Kyle retornaram à escada por onde chegaram, o druida conseguiu dissipar a visão borrada de Daryl com sua magia natural, e voltaram a explorar o corredor. Enquanto Shaco continuava à espreita e fora do alcance da visão de qualquer indivíduo. O arqueiro, agora capaz de dispara flechas, o elfo sacerdote e o druida ancião, partiram no encalço de Vrylore.

O primeiro grupo orc parou na entrada da segunda porta, enquanto o segundo circundava pelo caminho livre. Logo que o segundo grupo atingiu a primeira porta, Gang Hall os percebeu e resolveu atacá-los pelas costas. Furtivamente subiu o lance de escada, moveu-se atrás do grande Ogro, e desferiu um ataque com seu sabre mortal, que foi em vão, o Ogro nem passou perto de ser ferido, em resposta três dos orcs e o Ogro viraram-se para o assassino, e um embate fervoroso começou, com Shaco desviando e atacando o tempo todo.

Do lado oposto de Gang Hall, Vrylore pode ser encontrado, invisível e com melhores condições de visão, ele enxerga o primeiro grupo de orcs, e dispara outro flash, mas agora o clarão afeta somente os inimigos, pois o mago aprendeu com a sua mais recente experiência. Assim deu início à uma tática pouco ortodoxa, Vrylore criou uma névoa fétida que envolveu o grupo de inimigos parados à porta, assim que sentiram o fedor subindo, alguns orcs chegaram a se indagar se alguém havia comido algo estragado, mas logo perceberam que se tratava de uma névoa sufocante e tóxica, o mago prosseguiu, então, com a criação de outro muro, como havia feito na primeira porta.

Nesse momento Kyle começa a se aproximar da segunda porta, enquanto Daryl e Ren-var se viram com um orc desgarrado do grupo que combatia Gang Hall, o insistente inimigo se recusava a aceitar as flechas de Daryl, e bloqueava todas com o escudo empunhado. Ren-Var por sua vez iluminava o caminho. Dentro da sala o Troll desviou a atenção do soldado preso e começou a discutir e dar ordens aos orcs restantes, dando espaço para o refém tentar se soltar. Na fumaça tóxica o grupo se dispersou e Vrylore concluiu a construção de dois muros finos, bloqueando a passagem, porém o Ogro marretou o primeiro muro até abrir um buraco no mesmo. Nesse momento o Troll resolveu tomar uma atitude, e distância e avançou correndo pela sala toda em direção aos muros, destruindo tudo em seu caminho. Do outro lado, Gang Hall continuava atacando e bloqueando com exímia habilidade, porém não era capaz de machucar profundamente os orcs e o Ogro restante.

Assim que o gigantesco Troll invadiu o corredor, Kyle se apressou em conjurar outro servo da natureza, mais um feroz urso ártico apareceu, Worog, seu inestimável aliado partiu para cima do Troll. Vrylore assustado com a criatura horrenda tomou distância e tratou de sair do alcance daquelas garras devastadoras. Mais para trás Daryl lidava com o orc escudeiro, acertando uma flecha em cada perna deixando o selvagem mancando e se movimentando lentamente. Percebendo que algo de grave tinha acontecido mais à frente, tratou de deixar o orc manco para trás e avançou para ver o que acontecia.

O caos finalmente estava instalado, O lanceiro se soltou dentro da sala principal e começou a destroçar os orcs que restavam lá, o Troll se envolvou em uma disputa bestial com dois ursos e um lobo gigantesco resultando em sangue voando, garradas violentas e grunhidos enormes, alguns orcs tentaram se juntar à altercação, mas nem apresentaram uma ameaça. Vrylore tentou atear fogo no Troll, sem sucesso. Gang Hall arrancou a cabeça do ogro e partiu para cima dos orcs. O lugar virou uma carnificina.

Alguns segundos após a carnificina ter se instalado no andar os animais de Kyle controlaram a situação, por meios sutis, tais como arrancar os braços e pernas do Troll, mesmo assim o gigante demonstrava sinais de resistência. Daryl e Ren-Var alcançaram o resto do grupo. O druida percebeu que o inimigo não dava sinal de trégua e transformou seu corpo em madeira, Vrylore que viu uma oportunidade tratou de conjurar uma bola de fogo para atear fogo no inimigo. Daryl escalou o muro que separava a sala do corredor e começou a disparar flechas derrubando um ogro que havia dentro. O lanceiro que estava se afastando dos orcs percebeu isso e correu em direção do arqueiro, notando que este usava uma armadura muito similar à do soldado. Do outro lado, Gang Hall deu cabo de todos os orcs e começou a descansar. O lanceiro foi capaz de sair da sala com a ajuda de Daryl e juntou-se brevemente aos seus salvadores.

Os poucos inimigos que restaram sentiram-se acuados e desistiram de lutar, juntando-se em um canto da sala. O orc que mancava foi perseguido por quase todos e alcançado pelo lanceiro que pulou em cima do do anterior. O probre do orc que já havia até abandonado a arma e o escudo, e esboçava uma corrida que mais parecia uma elegante caminhada no fundo do mar, foi ao chão com o peso do soldado de Arermus, sendo alvejado por muitos golpes. Ren-Var e Daryl diante da fúria que o lanceiro apresentou, se apressaram em tirar o orc dessa situação e amarraram o mesmo.

Logo após a confusão toda cessar, e os exploradores sentirem-se seguros, todos desceram para se proteger de qualquer investida orc e se recuperarem. Assim, Ren-Var tratou dos feridos, Vrylore o ajudou com a iluminação da sala, Gang Hall comentou com o lanceiro, que se chama Ian Nottinghan, que haviam buracos tapados no assoalho do salão. Os turnos foram determinados e o descanso foi instaurado.

Comments

gustabass

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.